top of page

Colocando VERBOS na vida!

Confesso que tinha um rascunho de tema para essa semana, mas formatando o texto acabei mudando de ideia... Lembrei de um comentário que recebi no Facebook no post “Coloque verbos na sua vida” (para quem não sabe, a cada semana indico um verbo que tem ligação com a reflexão explorada).  Naquela ocasião, ou naquele post,  fui surpreendida com a resposta que já temos muitos verbos e viver já é um deles.  Sem explorar a potência dessa afirmação, comecei a pensar no quanto apenas sugerir e indicar um verbo pode ser visto como algo banal... Algo falado da boca pra fora. Mas te digo: quando eu penso em um verbo, penso em um exercício de novas possibilidades, de envolvimento e de até reconhecer o que precisa ser feito para ter o que se deseja.


Entendo e super concordo que viver é um verbo, mas também reflito que viver de forma automática não é viver, e sim sobreviver! Respirar, alimentar, dormir, se proteger e se vestir... Tão importantes, porém tão básicos. Quando sugiro verbos, penso naqueles que podem aquecer a alma, que podem mudar o seu presente e construir um novo futuro. Quando a alma é aquecida, viver deixar de ser um sacrifício. E quando colocamos ações em nossas vidas, damos leveza ao nosso caminhar!


Você pode se perguntar: - Que diabos esse tema tem a ver comigo? Ah, minha cara leitora, esse tema tem tudo a ver contigo, tem tudo a ver com a gente. Te pergunto quantas vezes você pensou, desejou, planejou e não realizou? Eu particularmente, já fiz isso milhares de vezes: desde uma paquera, um não dizer o que se sente, um passeio não feito e assim vai... Mas como tudo tem jeito, eu a cada dia tenho me desafiado a mudar...  Ao longo dos anos, eu decidi que seria preferível me arrepender do que eu fiz, e não do que eu tinha só deixado em minha cabeça...


Para um exemplo simples, eu pergunto: Quem só paquerou o “carinha” e nunca teve coragem de falar que estava a fim? E no não falar, agir, e o que quer que você tinha planejado, o carinha passa na sua frente de mãos dadas com outra pessoa. Quem nunca deixou de realizar um sonho pois poderia magoar seus pais, amigos, namorados e afins? Quem nunca deixou de dançar, de fazer novas amizades, de arriscar um corte de cabelo... Ah! Quem nunca? E nessa história de quem nunca, te convido a colecionar verbos e mudar o que você já tem! Te convido a sair do básico e criar uma conexão única de você com você. Seja para arriscar em um relacionamento, aceitar um novo emprego, dançar na festa no meio de gente que não conhece e assim vai...  É um mudar para no final das contas ter mais coisas positivas do que negativas na sacola. É achar um equilíbrio entre viver e sobreviver.


Se eu puder te dar um conselho e te indicar um único verbo, te peço para explorar o AMAR! Coloque o AMAR como principal verbo na sua vida. E antes de sair pensando que estou te pedindo para amar todos a sua volta, eu te convido cara leitora a experimentar SE AMAR! A partir desse verbo, tenho certeza que você colocará tantos outros em sua caminhada.  Quando você se ama, uma conexão mágica é criada com esse universo. Quando você se ama, uma segurança brota dentro de ti. E com essa segurança e esse amor, eu tenho certeza que você irá fazer muito mais! Irá praticar o viver com mais leveza, confiança, determinação e alimentar a sua alma! Verbos para a sua alma, verbos para sua vida!

Pratique, escolha, coloque e vivencie!


Coloque verbos em sua vida.

1 visualização

Posts recentes

Ver tudo

Obrigada Ana, Marisa e Arnaldo!

O ano era 1997 e eu tinha apenas 11 anos. Tive a sorte de ter uma tia adolescente que andava para cima e para baixo com o seu CD - Titãs Acústico MTV. Tia Ana me emprestou o CD e eu fiquei apaixonada

O que eu vou ser quando crescer?

Se eu fizesse essa pergunta para uma criança, a resposta chegaria em meus ouvidos como poesia, com muita simplicidade e como um rabisco de giz. Hoje, me pego fazendo essa pergunta para mim. Para minha

Espelho, espelho nosso!

Mudar como nos enxergamos é muito mais do que o nosso esforço pessoal... Sei que a afirmação parece confusa; mas a cada semana que passa, entre documentários, livros e matérias que leio; me questiono

Comentários


bottom of page